Cursos

05/09/2008 - Os Filhotes e sua LACTÂNCIA

LACTÂNCIA

Uma vez acontecido o parto, as hipófises, glândula de secreção interna, segrega um hormônio que é despejado na corrente sangüínea para aumentar a descida do leite.  Este hormônio denomina-se lactogena ou prolactina. Começa a atuar pelo estímulo externo através do ato de sucção provocado pelo filhote recém nascido no mamilo da mãe.  O período de lactação dura aproximadamente 30 dias, porém após os primeiros 15 dias não tem maior importância como valor alimentar, basta somente um complemento vitamínico que acompanha os primeiros dias de ingestão do alimento sólido (ração, farelos, etc.).  O primeiro leite que recebe o recém nascido por parte da mãe e é obtida por sucção, se denomina colostro; este colostro é um tipo de leite com muito poucas calorias e substâncias nutritivas mais com um alto poder de imunização (Leia mais sobre o colostro nesta seção no link "Os filhotes e o período critico")

Depois do colostro, o filhote beberá o leite da mãe que adora.  Este possui um alto valor alimentar e calórico, mais com muito baixo valor de imunização.

À medida que vão passando os dias, os filhotes crescem e ficam mais independentes e os cuidados maternos diminuem notoriamente.

Estes cuidados se restringem somente à mãe insinando-lhes o indispensável para reconhecimento do ambiente e as necessidades para a sobrevivência.

Também o filhote refugia-se na mãe, procurando calor até seu aparelho termoregulador de temperatura funcione perfeitamente.

Os filhotes ao nascer pesam aproximadamente 50 gramas; este peso após a primeira semana de vida deve duplicar ou triplicar.

Nos quadros seguintes tirados de trabalhos de investigadores, poderemos comprovar como aumenta o peso em dias e meses.

                                EVOLUÇÃO DO PESO DA CHINCHILA

           (Pavlov, 1961)                                                      (Bickel,  1956)

IDADE

       PESO EM GRAMAS

 

IDADE

      PESO EM GRAMAS

 

Em dias

Máximo

Mínimo

Média

 

Em meses

Máximo

Mínimo

Média

 

Ao nascer

52

23,5

36,7

 

Ao nascer

57

35

44

 

15

92

41,0

65,5

 

1

200

85

145

 

30

147

65,0

103,2

 

2

326

185

255

 

45

192

93,0

141,0

 

3

425

290

340

 

60

229

137,5

178,0

 

4

489

312

399

 

 

 

 

 

 

5

525

340

438

 

 

 

 

 

 

6

650

369

485

 

 

 

 

 

 

12

720

397

556

 

Logo após as primeiras semanas veremos como os filhotes começam a roer os pellets e grãos e mais tarde as folhas de alfafa, almeirão e outras.  Desta forma abandona definitivamente o leite materno e roendo cada vez mais os diferentes alimentos, o pequeno roedor troca sua alimentação e já não mamará mais nas tetas da mãe procurando seu delicioso leite.

Quando a Chinchila pare, como já falamos anteriormente, o mamilo fica grande e inchado, e é precisamente isto que o pequeno procura afanosamente desde que chega ao mundo.

Os pequenos filhotes sempre mamam de costas, pôr baixo da mãe; geralmente dos três pares de mamas, a glândula mamária que mais trabalha é a média, e os outros dos pares nesse momento ficam em repouso.  Enquanto a Chinchila mãe está amamentando a sua cria ela deve receber sobrealimentos e se for possível vitaminas.  Devemos oferecê-la, pôr meio de um conta gotas ou pequena seringa sem agulha.

Se a mãe não tiver leite, deve-se realizar a amamentação artificialmente para poder alimentar os filhotes.  A amamentação artificial requer muita paciência por parte do criador, até que o filhote perceba de que este somente o molesta com o único fim de alimentá-lo (Leia mais nesta seção no link "O filhote órfão - tratamento").

A decisão de alimentá-lo artificialmente se toma se nessa madrugada aconteceram, mais partos; sendo assim, pegam-se os filhotes e colocam-se com outra mãe para que junto com seus filhos amamente os outros. Desta maneira, evitam-se todos os inconvenientes que acarreta a amamentação artificial.

Para alimentar os filhotes artificialmente com um conta gotas se procede da seguinte forma: oferece-se ao filhote a ponta do conta gotas com leite e água na proporção indicada a uma temperatura que oscile entre 35 e 36 graus C. até que este sinta o gosto através da língua e passe a mamar (Leia mais nesta seção no link " O filhote órfão - tratamento ").

Uma vez por semana, podemos proporcionar ao filhote um multivitamínico para suprir a deficiências que possa ter a amamentação artificial.

Logo após os primeiros 10 dias do parto, pode-se colocar a banheira de pó à mãe que esta irá ensiná-los a limpar-se dentro da mesma.

O desmame dos filhotes deve efetuar-se entre os 45 e 60 dias após o nascimento.

Para voltar ao menú clique aqui

http://www.chinchilla.com.br/index.asp