Cursos

08/01/2010 - REPRODUÇÃO - BAIXA FERTILIDADE NAS FÊMEAS

MEUS ANIMAIS PRODUZEM POUCOS FILHOTES, POR QUÊ?

Jay Thompson - USA

 

Você não está conseguindo melhorar a produção de seus animais para compará-la a de um amigo criador? Já fez todo o possível para reverter à situação? Com certeza, você já limpou e voltou a limpar as gaiolas, desinfetou o sistema de água, os comedouros, o piso, revisou um por um os pellets, inspecionou todos os cantos, mas apesar de tudo, não consegue que suas chinchilas produzam.

 

Achamos suas chinchilas umas gracinhas, mas, eu lhe aconselharia que você as deixe mais tempo sozinhas para que a mãe natureza possa fazer a sua parte. Como você espera que seus animais atuem normalmente se você está sempre “incomodando-as” em sua volta?

 

O dito não é um exagero, como se poderia pensar. As chinchilas geralmente reagem de forma favorável com seu criador e o ambiente. O fato de não se reproduzirem tão bem pode ou deve-se a que não estejam muito conformes com suas visitas tão freqüentes. Não se preocupe, existem várias soluções para este problema e, acredite, você não é o primeiro que experimenta.

 

O primeiro a ser feito é relaxar. Para enfrentar este problema se faz necessária uma aproximação calma, paciente e objetiva, qualquer que seja o tipo de animal que se cria, e as chinchilas não são exceções.

 

O segundo passo é passar o menos tempo possível com as chinchilas. Deixe que seus animais tenham tempo para se acostumar com você ou outra pessoa, sem interrupções desnecessárias dentro do criatório. É conveniente manter as crianças a distancia porque geralmente são barulhentas. A chinchila gosta de dormir durante o dia e está ativa à noite. É claro que você terá que desenvolver as tarefas durante o dia, mas trate de que as visitas e/ou perturbações sejam mínimas. Imagino que você mantém seu criatório bem ventilado e com temperatura adequada, e que segue à risca as regras básicas de cria.

 

O próximo passo é o de instalar um rádio que transmita música suave em baixo volume, e deixar o tempo passar tranqüilamente.

 

Existe outra razão, mais difícil de explicar, relacionada com a dificuldade de procriação, o que nos faz pensar que seus animais se sintam instintivamente intranqüilos com sua presença. De modo geral, esta falha de relacionamento entre o dono e seus animais pode ser superada, se você gosta deles e tem prazer em trabalhar com eles. Inclusive, se você é uma pessoa nervosa, pode perfeitamente estabelecer um clima agradável e seguro dentro do criatório. O importante é organizar uma rotina e cumpri-la.

 

As chinchilas não são difíceis de manejar e, pelo fato de estarem confinadas, reagem ao menor estímulo. Ruídos repentinos e outras incomodacões provocam mais sobressaltos dentro de um ambiente fechado do que em lugares abertos.

 

Zoólogos importantes como o Sr. Robert Evely, quem supervisionou a construção do zôo de Montreal, Quebec, concordam com o seguinte pensamento: nos Zôos não se omitem esforços para proporcionar uma atmosfera que combine com cada tipo de animal, com o propósito de tentar a reprodução, muitas vezes de exemplares raros e insubstituíveis. A cria e venda de animais jovens é uma fonte de renda para os Zôos, por isso é necessário que os animais se reproduzam.

 

Poderá haver alguma chinchila no seu rebanho que não fique prenhe apenas por ser retraída, embora seja apta para procriação. No caso da fêmea, pode ser de temperamento tímido ou não ter vontade de cooperar, e um macho pode ser agressivo que chega a ser produtivo. Mas se estes exemplares são de qualidade, vale a pena trabalhar estes animais. Não os deixe juntos antes de terem transcorrido pelo menos 2 semanas de proximidade através da gaiola.

 

Um macho improdutivo é mais facilmente substituído que uma fêmea estéril (ou infértil), pelo simples fato de sobrarem mais machos, assim com existem outros motivos para que uma fêmea seja infértil como problemas uterinos, infecções vaginais e até abortos. De qualquer maneira, um rebanho tranqüilo sempre é mais produtivo que outro mais nervoso.

 

Existe o aspecto de que se imita aquilo que se vê. Criatórios maiores geralmente têm mais produção porque um cruzamento inspira outro. É algo assim como quando uma chinchila toma banho e a sua vizinha tenta fazer o mesmo.

 

A esterilidade das fêmeas pode ser fácil de tratar. O entupimento dos tubos uterinos não permite que o óvulo seja fertilizado. O canal vaginal da chinchila fêmea tem aproximadamente 2 cm de comprimento, em seguida se divide em 2 corpos, cada um com 10 cm de comprimento, variando segundo o tamanho e o peso do animal adulto. Nos extremos destes corpos se encontram os ovários. Os tubos uterinos podem estar entupidos por secreções ou resíduos que não permitem a passagem do óvulo e, sendo assim, a chinchila está temporariamente estéril.

 

Para fazer uma limpeza da vagina da chinchila, o que geralmente dá excelentes resultados, se pega o animal pela cauda e com um cotonete abre-se suavemente a entrada da vagina, o que se obtém sem dificuldades. Ao abri-la se produz à saída de um liquido que pode ter cor esbranquiçada, amarelo-esverdeado e até mais escuro e com sangue. Também existe o líquido tipo claro de ovo, que sai com forca e que pode ser o material que forma o stopper ou tampão seroso que ainda não foi expelido. Para fazer a limpeza, limpe bem a área genital, introduza um cotonete para limpar o local e em seguida aplique um cotonete molhado em Furacin líquido ou pomada, ou aplique uma seringa de insulina sem agulha com 0.2 cc do mesmo produto dentro da vagina cuidando para que o líquido não seja expulso imediatamente. Repita o processo 2 vezes na semana e pare.

 

Não se aconselha colocar qualquer antibiótico já que seu uso deve ser bem prescrito por um veterinário para não causar complicações. O uso desta técnica deve ser muito criterioso. Se uma chinchila deve passar por limpeza da vagina, esta será feita dando tempo suficiente para que ela possa demonstrar prenhes ou não, verificando a não existência de fetos no útero da chinchila adulta.