Cursos

12/12/2015 - COMEÇAM AS ESTAÇÕES QUENTES

 

DEFENDA SUAS CHINCHILAS DO CALOR

 

O período mais preocupante para os criadores no Brasil vai de outubro a março de cada ano. É o período “quente” do ano em que nossos esforços têm que ser redobrados para que nossos animais não sintam as diferenças com o a chegada das altas temperaturas.

 

O grande dilema começa na hora em que o criador decide instalar seu ar condicionado no galpão, já que algumas vezes pode ser mal orientado por outro criador ou amigos. É muito importante que o criador seja orientado por um profissional da área. As empresas que vendem estes aparelhos costumam ter técnicos e especialistas para isso.

 

Alem dos aparelhos tradicionais do tipo janela (aqueles fixados numa parede ou janela, voltados para o exterior do criatório), o mercado oferece vários outros modelos, como os portáteis e splits.

 

 

Split: consomem menos energia e são mais silenciosos.  Isso ocorre porque a peça que provoca barulho (chamada condensador) fica numa unidade separada do ar-condicionado e ainda do lado de fora do criatório.  Ou seja, um modelo split é composto por condensador e evaporador, que são interligados por uma tubulação. Eles são mais caros.

 

Portátil: com rodinhas que podem mobiliza-se dentro do criatório.  O rendimento destes aparelhos nunca será o mesmo que os de janela ou split com o mesmo número de BTUs (o que determina a capacidade do aparelho).

O modelo ideal que o criador deve instalar tem que ser resistente, econômico e a quantidade de BTUs suficiente para que a temperatura desejada seja alcançada.

 

CALCULE O BTU

 

(DEFENDA-SE DO CALOR - Oestado de SP- Caderno Casa & Família

Explicação dada pelo Sr. Antônio de Pádua dos Santos (instrutor de instalação de condicionadores de ar da Elgin).

 

 

Deparar-se com a sigla BTU será inevitável na hora de escolher um ar condicionado.  Ela significa British Thermal Unit (unidade térmica britânica), que é uma unidade de medida de energia.  Para cada dimensão de ambiente, há um número ideal de BTUs.

 

Para encontrar o número de BTUs indicado para determinada área, faça um cálculo rápido, considerando 600 BTUs para cada metro quadrado.  Em um ambiente de 20 metros quadrados com duas pessoas, por exemplo, fica assim:

 

600(BTUs) x 20 (m2) = aparelho de 12.000 BTUs.

 

Para cada pessoa extra, some mais 600 BTUs.  Ou seja, numa área de 20 metros quadrados com três pessoas:

 

12.000 BTUs + 600 BTUs = aparelho de 12.600 BTUs.

 

CALCULEMOS AGORA  OS BTUs IDEAIS PARA O SEU CRIATORIO

 

Falando em chinchilas podemos calcular qual a quantidade de BTUs que o aparelho deverá ter através da seguinte equação, supondo que uma pessoa equivale a 50 animais:

 

Exemplo de um criatório com uma área construída de 30 metros quadrados

 

Quantidade de animais: 100

600 BTUs x 30 (m2) = aparelho de 18.000 BTUs

 

Quantidade de animais: 200

600 BTUs x 30 (m2) = aparelho de 18.000 BTUs + 1.200 BTUs  = 19.200 BTUs

 

Quantidade de animais: 300

600 BTUs x 30 ( m2) = aparelho de 18.000 BTUs + 2.400 BTUs = 20.400 BTUs

 

O ideal é avaliar também a quantidade de outros aparelhos eletrônicos no ambiente como desumidificadores, iluminação artificial, ventiladores horizontais ou de teto  (pois também geram calor). A entrada de raios solares pelas janelas, e a altura do teto também devem ser considerados.

 

 

Se a capacidade do aparelho estiver acima ou abaixo do indicado, o consumo de energia será maior, podendo diminuir a vida útil do equipamento.

 

SAIBA COM O PREVENIR ALGUNS PROBLEMAS E COMO CUIDAR DA LIMPEZA DESSES APARELHOS

 

Uma instalação inadequada pode comprometer o funcionamento do ventilador e do ar condicionado.

 

Para isso o gerente da equipe de vendas da Artven – Comercio e Instalação de Ventiladores e Ar Condicionado,  Sr Gernecy Massetti responde algumas perguntas feita pela repórter  Kátia Florêncio do Caderno C&F do OESP. Entre parênteses faremos o comentário no que se refere a nós, criadores de chinchilas.

 

C&F – Os ventiladores de teto exigem que tipo de manutenção?

 

A manutenção desses aparelhos só e freqüente no litoral. A maresia causa oxidação na capa do motor. Outra coisa que pode acontecer e a queima do controle, quando se troca de exaustão para ventilação com muita freqüência, sem esperar que as pás parem de girar.  Quando um ventilador de teto é instalado por leigos, podem ocorrer outros problemas como a quebra de lâmpadas ocasionadas pelo desbalanceamento, que causa trepidação do aparelho.

 

No nosso caso, devemos nos preocupar com a entrada do pó de carbonato de cálcio dentro do motor. Este pó prejudicará muito rápido o funcionamento dos rolamentos ou buchas do eixo.

 

 

C&F – Existe diferença no consumo de energia para diferentes velocidades?

 

Sim, para ventiladores de teto e convencionais, quanto maior a velocidade, maior será o consumo de energia.

 

C&F – Com que freqüência deve ser feita a limpeza dos condicionadores de ar?

 

Isso varia de acordo com a região.  Em São Paulo, por causa da poluição, o ideal é se fazer á limpeza cada três meses. Para isso, deve-se remover os dois filtros, lavá-los com água e sabão neutro e, depois de secos, colocá-los no mesmo lugar.

 

É recomendável, ter filtros de reserva limpos durante o verão para trocá-los rapidamente, evitando que os aparelhos fiquem desligados durante o tempo da limpeza dos filtros.  Entre os meses de maio e agosto é necessário retirar o aparelho e com jatos de mangueira eliminar os pêlos e o pó de carbonato de cálcio colado nos canos de refrigeração e radiadores. Após isto, e durante dois dias devemos deixá-lo secar naturalmente antes de colocar em funcionamento.

Lembre-se também de desligar o aparelho na hora de dar banho, ligando-o novamente pelo menos uma hora depois de fechar as banheiras. Deixando que o pó seja retirado pelo exaustor.

 

C&F – Quais são os problemas mais freqüentes nos aparelhos?

 

Os problemas mais comuns se devem à má instalação. Por isso, o serviço especializado é muito importante.  Existe um cano de cobre que passa pela parede e, se este cano for dobrado, ele pode impedir a passagem do gás necessário para fazer o resfriamento.  Uma solda mal feita neste cano pode formar uma bola de gelo que o entupirá, podendo umedecer a parede.

 

C&F – Quais os modelos que gastam mais?

 

Os modelos mais antigos, que funcionam com o sistema alternativo (da mesma forma que pistão de carro). Já os mais novos, que possuem sistema rotativo, alem de silenciosos, são mais econômicos.

 

Fonte C&F - OESP

 


 

 

VERÃO = + ÁGUA

          VERÃO + ÁGUA = + BACTÉRIAS

                    VERÃO + ÁGUA + BACTÉRIAS = + PROBLEMAS

 

Se for verdade, caros criadores, que a chinchila pode permanecer dois ou mais dias sem tomar água, isto acontece somente no inverno; no nosso tórrido verão, não devemos nos esquecer destas regras essenciais.

 

 1- A água é primordial à vida das chinchilas em cativeiro;

 

 2- A forma de alimentação mediante alimentos secos torna imprescindível o subministro de água pura e fresca;

 

 3- Os filtros de água modernos são de grande valor em criatórios de porte médio e grande. Converse com um técnico o com quem já utiliza estes filtros no abastecimento de água para chinchilas;

 

 4- A água potável da cidade, sendo adequada à Chinchila, deve ser examinada para medir o teor de cloro.  Se houver excesso de cloro aconselha-se deixar descansar a água umas doze horas antes de ministrá-la aos animais. Não tampe o recipiente para que o cloro evapore naturalmente. Isso não acontece nos lugares que não têm água corrente, sendo originária de poço artesiano; é necessário, neste caso, proceder ao controle químico da mesma a cada três meses, para que não se corra risco quanto à sua pureza e potabilidade, já que é sabido que esse tipo de água pode facilmente contaminar-se por esgotos residenciais e industriais,

 

 5- É necessário e conveniente limpar e desinfetar regularmente os bicos dos bebedouros automáticos, para evitar-se a sujeira e os resíduos de pelos dos animais nos mesmos; é necessário controlar, diariamente, seu funcionamento, sob pena de sofrer sérios riscos: uma rápida desidratação do animal, com as conseqüências por todos conhecidas;

 

 6- A cada 10 dias retire o último bico automático da fileira mais baixa das gaiolas e longe do reservatório de água e deixe a mesma circular livremente durante alguns minutos. O fluxo constante de água carregará boa parte das bactérias;

 

 7- A instalação de bebedouros automáticos conectados diretamente à rede de água corrente, tem dois inconvenientes:

 

  • A água pode chegar com mais ou menos cloro, sem que o criador saiba e possa controlar.
  • No caso de ruptura de uma conexão ou mordida do animal em alguma das mangueiras, coisa que acontece geralmente à noite, ocorrerá uma verdadeira inundação.  Em caso de ser a ruptura ou mau funcionamento de um bico na parte mais alta da linha de gaiolas, também se molham as gaiolas inferiores, alem da inundação já dita.

 

 8- O bebedouro de garrafa, deve ser lavado diariamente. Adicione uma boa quantidade de água sanitária (cândida) na água para lavagem interna da garrafa e depois enxágüe bem. Não use detergente ou sabão;

 

 9- Os animais recém desmamados são mais propensos ao estresse e o cuidado com a limpeza dos bicos e fornecimento de água fresca devem ser redobrados;

 

 10- Segundo alguns autores conhecidos, proporcionando água pura e fresca aos animais, resolve-se 50% dos problemas que poderá ter uma criação de chinchila. A incidência de bactérias e o posterior processo infeccioso por giárdias e pseudomonas diminuem em forma considerável.

 

 11- Para que se possa evitar a proliferação repentina de bactérias, comum em altas temperaturas como a nossa, aconselha-se a cada três meses desinfetar as mangueiras de distribuição de água procedendo da seguinte forma:

 

  • Solte os bicos das gaiolas.
  • Misture num recipiente, 5 litros de água quente com ½ litro de água sanitária e coloque na parte alta das gaiolas.
  • Solte o último bico inferior da mangueira e faça o liquido entrar pela mesma. Quando o liquido começar a sair na parte inferior, coloque o último bico novamente, tampando a saída.
  • Aperte levemente durante 4 a 5 segundos a válvula de cada bico e deixe sair um pouco da água com cândida. Após 30 minutos, retire novamente o último bico e deixe a água correr livremente até esvaziar o recipiente com os 5 litros da mistura.
  • Deixe correr abundante água limpa dentro da mangueira até ficar totalmente sem resíduos de água sanitária, não esquecendo de deixar também sair um pouco desta água limpa em cada um dos bicos da rede.
  • Instale novamente os bicos nas gaiolas e de água normalmente.

 

A cada doze meses troque as mangueiras por outras novas, deixando as conexões durante 12 horas dentro de um vasilhame com água sanitária pura. Enxágüe bem e monte a rede de distribuição de água com as novas mangueiras.

 

Embora seja do conhecimento de todos, é bom insistir em lembrar aos criadores que deverão ser usadas mangueiras preferentemente da cor preta nas instalações de água, evitando assim a rápida eclosão de bactérias devido à ação da luz; os baldes usados para o transporte de água e reservatórios, deverão ser de cor, não transparentes.

 

Seguindo estas regras simples, teremos a segurança de que em nossa criação a água cumpre sua função vital e nós a nossa, de fornecer água limpa, pura e potável às nossas chinchilas.

 

Fonte AACCH

 


<< voltar